Gigantes, complexas, em plena expansão. Essas são algumas das características que aproximam as geográfica e culturalmente distantes Pequim e São Paulo, e instigam um diálogo proposto por criadores brasileiros para a próxima Beijing Design Week - BJDW, que acontece de 26 de setembro a 3 de outubro.

Diante da proposta de aproximar as duas cidades através do design, o Coletivo Amor de Madre pensou em levar para Pequim um projeto iniciado em 2011, que gerou a exposição #fuiparaspelembreidevc. Nela, os designers Marko Brajovic, Mauricio Arruda e Guto Requena criaram objetos que pudessem alterar a relação entre as pessoas e a cidade, transformando o afeto por São Paulo nos projetos Extacity, +5511 e Nóize.

A exposição tocava em questões como criação de memória coletiva e a reapropriação da cidade por seus cidadãos – movimentos cada vez mais necessários e emergentes em ambas as metrópoles, cujo crescimento acelerado e não planejado, resultou em questões como a dificuldade de mobilidade urbana, a perda de identidade, a destruição de prédios históricos em detrimento da especulação imobiliária, entre tantos outros.

São essas questões que permeiam a atuação dos brasileiros em Pequim, mais expandida e chamada #fuiparapequimelembreidesp. O projeto completo conta com exposição, palestras, mesas redondas e performances nos distritos de Dashilar e Caochangdi, além de uma pesquisa com o objetivo de registrar a cidade.

Maurício Arruda e Guto Requena atuarão também diariamente durante a semana, em um ponto de encontro denominado, A Sala, localizada em Caochangdi. Lá, uma performance/instalação será realizada pelo Coletivo Amor de Madre em parceria com a produtora especializada em interatividade digital D3, promovendo também palestras, workshops, perfomances e trocas de experiências vividas durante a BJDW.

O local será ponto de partida de caminhadas a deriva pela cidade. Através de uma parceria do Coletivo com a D3 e Pedrinho Fonseca, da Vanilla Unusual Projects, esses passeios investigativos serão mapeados e registrados via aplicativo. Algumas das imagens serão enviadas via hashtag para Henrique Stabile, que comandará uma performance ao vivo, mostrando como manipular digitalmente as imagens, criando novos territórios a partir da sobreposição e recorte dos registros da deriva. O projeto é aberto para todos que quiserem participar via #whenareyou postada no instagram.

Na Sala em Caochangdi, uma janela de design parametrico desenvolvida a partir da geolocalização utilizará tecnologia haptica para possibilitar a interação entre cidades, aproximando em tempo real Pequim e São Paulo. Feitas de vidro, as estruturas transmitem de uma a outra as marcas do toque das pessoas, e reagem quando duas mãos se encontram. Mais duas mesas intererativas também fazem parte deste projeto.

Ao unir design, tecnologia e experiências, a participação brasileira no BJDW procura dar início a uma troca contínua e participativa entre a cidade, os cidadãos e os profissionais, construindo cada vez mais novas possibilidades de questionamento, investigação e ação.

Beijing Design Week 2014
de 26/09 a 03/10
bjdw.org