“Quero vestir a casa que nos veste todos os dias.” A afirmação da designer nascida na capital fluminense Gilda Midani descreve o novo momento de sua marca, até então dedicada ao universo da moda. Com lojas no Rio de Janeiro e em São Paulo, Gilda
está há 13 anos trabalhando com roupas de tecidos nobres, fluidas e confortáveis, que têm a pesquisa têxtil e o tingimento artesanal como características primordiais. “Sou inquieta, gosto de vislumbrar novos caminhos. Comecei na moda feminina e depois transbordei para a infantil e a masculina. Agora, no ano de comemoração de uma década da grife, senti que chegou a hora de invadir o segmento da decoração”, explica.

Em setembro, ela apresentou a primeira coleção da Gilda Midani Home no endereço paulistano, no bairro Cerqueira César, e, em novembro, exibiu as peças para a clientela carioca na butique no Leblon. A linha é composta por itens têxteis e de porcelana. No primeiro grupo estão jogos de cama de algodão pima, tingidos em deep blue e em policromia, colchas e almofadas de linho e algodão orgânico, toalhas de mesa, jogos americanos e guardanapos também de linho, e avental e robe – que simbolizam um convite ao desfrute do lar. Entre os produtos de porcelana, feitos em conjunto com a artesã Taciana Amorim, estão utilitários como bandejas, fruteiras, copos, taças, colheres e cumbucas pintados artesanal- mente ou esmaltadas. 

Segundo Gilda, o novo segmento deve seguir os mesmos padrões estéticos da marca de roupa. “É uma maneira de reafirmarmos a natureza daquilo que já fazemos. Quero que o público que não tem empatia com a linguagem do meu trabalho no universo da moda possa criar afinidade ao vê-la aplicada em produtos para o lar. Ou seja, é uma forma de aproximar novas pessoas, sem perder a essência do que já faço: oferecer beleza e conforto”, diz ela. 

Leia a entrevista com Gilda Midani na Bamboo de dezembro, nas bancas.